Skip to content

clouds in my coffee

14 julho, 2009
tags: ,

‘Cafezito’ para mim é expressão-chave para marcar encontrinhos inesperados durante a semana com amigos. Mas, na maioria das vezes, acabo optando por um chocolate quente ou capuccino, pelo sabor mais agradável. Geralmente, tomo o cafezinho mesmo no trabalho, ou após alguma refeição – é menos gosto e mais ‘bebida de situação’. Já minha mãe é viciada, do tipo que mesmo em casa está o tempo todo fazendo (e tomando).

Outro dia, enquanto tomávamos um café no Suplicy, perguntei a Júlio qual o melhor café da cidade – levando em conta não somente a bebida, mas ambiente, serviço, preço e conjunto da obra. Meu namorado manja mais do assunto que eu e, além de paladar mais apurado para o grão, costuma frequentar mais cafés na cidade. E aí surgiu a ideia desse post: já que paulistanos, assim como novaiorquinos, são tomados pelo stress da metrópole e adoram uma cafeína para manter a disposição sob controle, nada mais natural do que elencar os melhores lugares para encontrar a bebida na paulicéia.

Afinal, tudo é desculpa para um bom café. Especialmente no frio!

coffee

– o V. Café* foi um dos primeiros que eu mencionei, porque fica dentro da Livraria Cultura do Conjunto Nacional (amo!) e é lá que costumo marcar encontrinhos com amigos – como em São Paulo é corriqueiro levar um chá-de-cadeira, devido a imprevistos no trânsito e afins, pelo menos lá tenho a opção de ver todos os lançamentos de livros, DVDs e etc (e deixar uma parte do meu salário lá). Adoro as tortas que eles servem para acompanhar (nunca sei qual escolher, sempre tãao lindas!), o espaço é confortável e os preços são razoáveis. Difícil é arrumar uma mesa livre nos horários de pico!
Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073

 * Júlio aproveitou para comentar que o café de todos os restaurantes Viena em geral são bons, incluindo o quiosque dentro do mesmo Conjunto Nacional.

– o Havanna dos Jardins também é outra boa opção. O espaço é bem gostoso e aconchegante, tem montes de revistas para passar o tempo, boas sugestões de bebidas quentes feitas com café (normalmente usando o dulce de leche local, delícia!), e o melhor: alfajor e havanette! Um dia estava louca de vontade de comer o doce de leite deles e pensei no havanette, que é apenas o doce coberto por chocolate (hmmm!). Mas, para minha surpresa, eles só servem o doce no frio, porque no calor derrete! Fiquei frustradíssima porque era tipo alto verão <gordinha mode on>, mas a boa notícia é que o inverno já deu as caras e agora podemos aproveitar. Fica a dica!
Rua Bela Cintra, 1829 – Jardins (esquina com a Al. Tietê)

– o Vanilla Cafè, com filiais ao redor da cidade, tem um bom ‘conjunto da obra’: segue a linha de espaço aconchegante (que deveria ser presente em todos os cafés, mas nem sempre é), boas opções de docinhos e acompanhamentos, e preços ok. Infelizmente não posso opinar quanto à qualidade da bebida, porque Júlio ainda não conhece e meu know-how é mais limitado. Mas vale a visita se tiver um pelo caminho (o da esquina da Antonio Carlos com a Augusta é especialmente bem frequentado, cheio de gente interessante).
Rua Antonio Carlos, 404 – Consolação

 – a Cristallo também tem algumas filiais espalhadas. Segundo Júlio, o café é fraco. Mas, se você estiver à procura de outras coisas além da bebida, recomendo: tem ótimos docinhos para acompanhar, meu capuccino-favorito e mesinhas com vista para a Oscar Freire, na filial dos Jardins (e você pode passar o tempo vendo o trânsito causado pelas peruas parando em fila dupla ou as dondocas caminhando com seus lulus pelas amplas calçadas, além de um ou outro tipo bacana batendo perna).
Rua Oscar Freire, 914 – Jardins

– ainda na Oscar Freire, há o Santo Grão. O lugar é cheio de pompa e fila de espera, e segue a linha de “café gourmet”. A bebida é de qualidade mas os preços não são muito amigáveis. O ambiente é confortável, mas não curto muito esse luxo e glamour todo, prefiro uma poltrona grande e fofa para poder sentar e colocar o pé sem pensar se estou sujando a almofada. Mas vale conhecer se você estiver num dia mais poderoso (tudo vale a pena se a alma não é pequena, confere?).
Rua Oscar Freire, 413

– fechando o ‘circuito Jardins’, tem o Suplicy. Como eu disse, nem todos os cafés são aconchegantes e confortáveis: aqui tudo é branco e clean, meio frio. Eu não sou super fã, acho o lugar muito metidinho, com preços nas alturas – cobra obscenos R$5 por um espresso duplo, que é o tamanho normal em outras cafeterias (oi?!). Mas a bebida é de boa qualidade mesmo, e oferece bons produtos importados, como os picolés italianos com pouca gordura. Também conta com um bom serviço de wi-fi, e é um lugar para ‘ver e ser visto’ nos Jardãns. Humpf.
Al. Lorena, 1430 – Jardins

– já a famosa rede Starbucks, que chegou ao Brasil em 2006, ainda tem um número limitado de lojas, mas vale conhecer pelo tititi que gera ao redor do mundo. Júlio não conhece e eu não posso falar do café em si, mas eles têm ótimas opções diferentosas. Quando morava em Londres, era viciada no caramel hot chocolate (e adorava que dava para ‘temperar’ depois, com chocolate em pó, canela e afins). A da Al. Santos é a maior de todas na cidade e tem ótimos cantinhos, com poltronas e cadeiras para um tète-a-tète.
Al. Santos, 1054 – Bela Vista 

– ainda das grandes redes: segundo Júlio, os espressos do Fran’s são horríveis, por isso todos estão fechando (antes tinha tipo um em cada quarteirão, néam?). Já na minha humilde minha opinião, que não manjo de café, é que a comida tem gosto de plástico. Fuja!

  

+ achados!

Almanara – o top restaurante favorito no quesito custo/benefício também tem ótimo café para finalizar a refeição. Aproveite!
Rua Oscar Freire, 523 – Jardins
(e outros endereços pela cidade)

N’o Café, no coração da Vila Madalena. É um lugar supercharmoso, com ambiente agradável e cardápio apetitoso. Não achei site próprio, mas encontrei uma boa crítica gastronômica com respaldo técnico aqui (falando da qualidade do café e tudo), e outra engraçadíssima do Jorge Wakabara aqui (adorei o ‘a Carrie iria… se ela fosse acadêmica e vivesse na Vila Madalena’, haha). Não é tão barato, mas vale o que cobra.
Rua Harmonia, 506 – Vila Madalena

Pão de Açúcar – Júlio disse que esse é o achado-master para cafés-da-manhã corridos: todas as cafeterias da rede de supermercados têm café de qualidade. Na que ele frequenta, da Cardoso de Almeida**, tem ainda outra vantagem: preço imbatível! A xícara sai por R$1,90 e vem acompanhada de um mini pão-de-mel. Para completar, pão na chapa (com manteiga de verdade!) e suco de laranja de garrafinha, tudo por apenas R$4,85. Boa pedida, hein?

** essa fica na Rua Cardoso de Almeirda, 472 – Perdizes
Não sei se todas as outras da rede têm esse mesmo preço e café muito bom (seria impossível para eu verificar sozinha), mas vale a pena dar uma olhada!

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: