Skip to content

bonjour, paris!

19 agosto, 2009

A primeira vez que assisti a “Jules et Jim”, de François Truffaut, foi no início deste ano. Queria ver há tempos e um amigo emprestou. Devo confessar que achei meio monótono e acabei dormindo no meio, mas por ser um filme obrigatório para cinéfilos de carteirinha, do tipo “tem que ver”, voltei e assisti até o final. Gostei mas não me apaixonei (a não ser pela classuda Catherine, apesar de meio louca, e pela incrível blusa listrada que ela usa na praia cheia de charme  – não sosseguei até encontrar uma parecida!).

Mas vira-e-mexe o filme passa na tevê. Só no canal Futura eu já vi umas três vezes, sendo que a última foi domingo passado. E, passada a “obrigação” de ver, é um filme que ganha cada vez mais a minha paixão – não consigo trocar de canal quando ele está lá, seja para apreciar o charmoso Jim, a história única de amor entre o triângulo principal, a fotografia impecável, a trilha sonora envolvente, a direção precisa de Truffaut… ou apenas para praticar o francês. Recomendo recomendo recomendo!

jules_et_jim

Outro filme que não sai da cabeceira e sempre retomo, não tanto para praticar francês mas sim para sonhar com Paris mesmo, é um musical que tem uma cena que dá título a esse post: “Funny Face” (aqui chamado de “Cinderela em Paris”), que dei de presente para uma amiga querida dia desses e tem a musa-inspiradora-top-favorita Audrey Hepburn como protagonista. Apesar de uma história simples como enredo, bobinha até (bem Cinderela mesmo), o charme fica por conta da atuação deliciosa de Audrey, a presença marcante de Fred Astaire e a inspiração no mundo da moda, que começava a ganhar espaço nessa época – o figurino, assinado por Hubert de Givenchy, solidificava a célebre parceria entre a atriz e o estilista (iniciada três anos antes, com ‘Sabrina’), e jogava holofotes para o potencial do figurino em um grande filme. Tudo é muito bonito, bem cuidado e impecável. De fazer a gente querer ser tão expressiva, graciosa e magrinha como Audrey, com um melhor amigo como Hubert a tiracolo só para nos vestir com roupas increíbles o tempo todo. Muito lindo!

Funny_Face

Mais uma notícia boa esses dias, não tanto a ver com filme mas sim com Parrí, é que a Maria Lina, meio-brasileira/meio-francesa do blog Conexão Paris, aproveitou que sempre é procurada por cabecinhas antenadas que querem tirar o melhor proveito da capital francesa e lançou um guia para conhecer a cidade em quatro dias. O precinho é econômico (apenas R$14 + frete!), mas as dicas não: tem de um tudo para quem quer apreciar a cidade da forma mais gostosa, como une autentique parisienne. Aliás, aproveito para recomendar o blog também: poucos sabem falar com tanto know how de insider parisiense como ela!

guia012 

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. conexaoparis permalink
    28 agosto, 2009 12:08 pm

    Obrigada amiga, por citar o Conexão e o guia.
    Abraços
    Lina

Trackbacks

  1. síndrome de paris « gps: i love you

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: